Notícias

Baterias da SBK Evo e Escola foram canceladas para prezar pela segurança dos pilotos

Originalmente programada para ter sete corridas, a 5ª etapa do SuperBike Brasil, realizada no último domingo (1º), no Autódromo Internacional de Curitiba (PR), contou com cinco provas. As baterias da SuperBike Evo e da categoria Escola acabaram canceladas pela direção de prova do campeonato para prezar pela segurança dos pilotos.

O fim de semana de disputas começou com treinos livres debaixo de sol. No sábado, a maior parte das atividades contou com o mesmo cenário. Por volta das 15h (de Brasília), no entanto, o clima no local virou, e uma chuva acompanhada de fortes ventos fez com que os classificatórios terminassem mais cedo.

No domingo, uma longa chuva caiu no autódromo e mudou o prognóstico. Isso fez com que os pilotos não tivessem oportunidade, por falta de tempo, de treinar sob condição de chuva na pista. Formada por ex-pilotos experientes, a direção de prova, que sabe a diferença de treinar e correr na chuva para treinar com pista seca e correr com ela molhada, decidiu por cancelar as baterias em questão.

Vale destacar que as corridas programadas para o começo do dia foram mantidas porque eram de categorias menores, de menor velocidade e potência. Prova disso é que a Honda Junior Cup (160cc) terminou sem nenhuma queda; a Yamalube R3 Cup (300cc) e a Copa Honda CBR 500R (500cc) tiveram tombos, mas sem nenhuma consequência grave a qualquer piloto.

Corridas de motos 1000cc

A prova da categoria madrinha, às 13h, foi a primeira do dia que envolvia muita potência. Diferentemente do habitual, houve um número elevado de quedas, ainda que nenhuma com consequências graves. Isso criou uma grande preocupação na direção de prova, responsável pela segurança dos pilotos.

Entendendo que, se tiveram quedas na SuperBike, que conta com pilotos muito experientes, em categoria de motos tão potentes quanto, mas com pilotos menos experientes, as consequências poderiam ser graves. Mesmo com o evento amplamente estruturado: no autódromo em Pinhais, foram mais de 600 metros lineares de barreiras de ar, instaladas nas cinco curvas que não contam com área de escape em abundância, equipe de sinalização que operou todas as 12 cabines dispostas no circuito, equipes de socorristas de pistas com mais de 20 pessoas, além de 5 veículos médicos, amplo ambulatório e medical car.

Desta forma, os grids da SBK Evo (motos 1000cc) e Escola (motos 1000cc e 600cc) foram cancelados por falta de segurança. A decisão foi tomada após realização de briefing de urgência e com total apoio dos pilotos participantes dás categorias envolvidas.

Ainda assim, seguindo o regulamento, os pontos serão validados e computados conforme os resultados dos treinos classificatórios. O regulamento prevê esta cláusula, pois entende que cometeria injustiça com os pilotos, que se deslocam para ir até as etapas, têm custos de logística e estadia e treinam forte, mas perdem a corrida por razões de forças maiores (climáticas, neste caso).

A organização do SBK Brasil entende também que, dentro da justiça desportiva, a etapa aconteceu, ainda que a corrida não tenha sido realizada. Como forma de sanar o prejuízo de quem não pôde alinhar, uma bateria extra para cada um dos grids impactados será realizada na 6ª etapa da temporada, no dia 22 de setembro em Goiânia.

Foto: Sampafotos