Notícias

Piloto que se acidentou em etapa ressalta a importância das barreiras de espuma

Sírio Sá de Souza explicou ao portal do SBK o motivo de sua queda e o que foi crucial para sair ileso

Infelizmente os acidentes fazem parte do esporte a motor. Na motovelocidade não é diferente. No entanto, é necessário fazer todo o possível para que os pilotos estejam bem amparados, em caso de queda. Assim foi como aconteceu durante os treinos classificatórios da Copa Pirelli, no último sábado (20), em Interlagos, com o piloto da categoria SuperBike Escola, Sírio de Souza.

Em sua primeira etapa como competidor, Sírio pode dizer que não viveu um de seus melhores momentos. Durante uma das voltas do treino classificatório, sua luva o atrapalhou, resultando em sua queda. “Foi um erro meu, por conta da luva. Acelerei e não consegui retornar. Por conta disso, apertei muito forte o freio dianteiro, então a moto fez o RL e fui parar na barreira de espuma”, explica.

Segundo o piloto da SBK Motoracing, suas experiências anteriores, em Track Day, e orientações do coordenador da categoria, Diego Viveiros, ajudaram para que nada de grave acontecesse. “Teve um pouco da vivência, por fazer muito Track Day, sempre fui orientado a largar a moto. O briefing foi outra coisa que ajudou bastante. O Diego orientou muito bem os lugares que não serviam para ultrapassagem e instruiu a soltar a moto quando caísse. Foi o que eu fiz. Lembrei das orientações e soltei a moto”, reforça.

Além de seguir o protocolo de soltar a moto na hora da queda, Sírio também credita sua integridade física às barreiras de espumas, colocadas no entorno da pista, justamente visando a segurança dos atletas. “Depois da queda, vi que eu estava bem e minha moto inteira, embaixo da espuma. Foi um alívio. Eu bati na espuma primeiro e ela veio logo em seguida, ainda bem que tinha barreira de espuma lá. Depois chegou a equipe de resgate, foram bem rápidos. Se as barreiras de espuma não estivessem ali, eu iria bater naqueles pneus e acredito que o estrago seria maior”, ressalta.

No dia do acidente, o estreante deixou o autódromo a caminho do hospital sem grandes ferimentos, e com suspeita de uma fratura na clavícula. Ao chegar no hospital e realizar os exames, foi informado de que não houve lesão alguma. No dia seguinte, voltou às pistas para conquistar o terceiro lugar no podium da categoria SuperBike Escola Estreante.