Notícias

A importância do investimento na base, aliada à inclusão

Foto: Chris Fabbri

Investir no desenvolvimento de jovens atletas, faz com que o esporte em questão se torne cada vez mais uma superpotência. Com o proposito de tornar a motovelocidade cada vez mais forte no país, até tomando para si como obrigação por ser o maior campeonato das Américas, o SuperBike Brasil segue sempre inovando e investindo nas categorias de base. Melhor ainda, propõe a inclusão de meninas nesse processo. Na última etapa, tivemos um grid com cinco pilotas, comprovando ser o início de uma bela jornada.

Idealizador do campeonato Sul Brasileiro, Carlos Barcelos é grande entusiasta da causa, além de ter papel fundamental. Com ele foi possível formar uma parceria, na qual é feita o intercâmbio de pilotos do sul, que com certeza trará bons frutos para a nova geração de mulheres na pilotagem. “O SBK Brasil é uma referência na formação de pilotos em grande escala no Brasil com o projeto da Honda Jr Cup. Em 2021, começamos aqui, nos mesmos moldes, porém com motos que faziam parte das competições estaduais aqui no RS, mas estavam sem uso por quase 5 anos, desde que a categoria 125cc com adultos foi deixada de fora. Acreditei que o exemplo do SBK poderia trazer um novo momento e oportunizar mais jovens ao esporte. Hoje já é uma realidade com 12 jovens e o SBK Brasil trouxe mais força com essa parceria”, ressalta.

Inclusive, Barcelos, que é formado em educação física, explica a importância do esporte como ferramenta no desenvolvimento do caráter. “Na formação acadêmica, assim como vida desportiva, sempre acreditei no esporte como ferramenta de inclusão e formação de cidadãos de bom caráter. O esporte torna motivante o jovem a ser mais disciplinado, sempre levando como valores o respeito aos demais que o cercam e a sua própria vida com saúde”, pontuou.

Vencedora da primeira etapa que propôs esse novo modelo de incentivo e inclusão, a pilota Giovanna Ferreira falou sobre a experiência. “Foi um sonho realizado. Tudo foi muito bom, o pessoal do grid da Jr. a energia de Interlagos, os treinos. E a primeira vez ter um grid feminino, foi muito satisfatório ficar no lugar mais alto do pódio e ter dividido a pista com as outras meninas e com os outros pilotos. Todos eles são muito legais”, afirmou.